01/09/2016

Suicídio

Um problema crescente

Precisamos falar de suicídio

01/09/2016

1472679204268

Setembro é o mês de prevenção ao suicídio, que já é considerado um problema de saúde pública pela Organização Mundial de Saúde. Apesar da gravidade do assunto, o tema ainda é cercado de preconceitos e tabus. Assim como o câncer e as doenças sexualmente transmissíveis, o suicídio tem se tornado uma das principais causas de mortes, principalmente entre jovens, em todo o mundo. Por essas e outras: já passou da hora de falarmos sobre suicídio.

No mês de prevenção do suicídio, 10 motivos para falar sobre o assunto

Publicado no Estado de S. Paulo em 31/08/2016

O suicídio é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um problema de saúde pública. Apesar da gravidade do tema, tocar no assunto ainda é um tabu na sociedade. Os poucos dados disponíveis sobre o suicídio também podem dificultar ações de prevenção. Setembro é considerado o mês de prevenção do suicídio. Veja a seguir, dez informações relevantes sobre o suicídio e saiba como evitar.

1 – Mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos no mundo.

suicídio

2 – Para cada morte, há um grande número de pessoas que tentaram suicídio a cada ano. A tentativa de suicídio é o fator de risco mais importante para o suicídio na população em geral.

suicídio

3 – O suicídio é a segunda principal causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos, segundo a OMS.

suicídio

4 – A maior parte deles (75%) ocorre em países de baixa e média renda.

suicídio

5- Ingestão de venenos, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns  em todo o mundo.

morte

6 – Embora exista a relação entre distúrbios suicidas e mentais (em particular, distúrbios alimentares, depressão e uso de álcool), muitos acontecem impulsivamente em momentos de crise, como problemas financeiros, de relacionamento, dor crônica e doença.

morte

7- As taxas são também elevadas nos grupos vulneráveis que sofrem discriminação, como entre refugiados e migrantes; pessoas indígenas; lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros; e presos.

morte

8 – O fator de risco maior é uma tentativa de suicídio anterior.

morte

9- Os suicídios podem ser evitados. Entre as medidas para preveni-los, estão reduzir o acesso aos meios de suicídio, publicar informações responsáveis sobre o tema nos meios de comunicação; elaborar políticas para reduzir o uso nocivo de álcool; identificar precocemente e iniciar o tratamento de pessoas com transtornos mentais, dores crônica e estresse emocional agudo; formar trabalhadores de saúde para identificar um comportamento suicida; oferecer cuidados necessários para as pessoas que tentaram suicídio.

morte

10-  O Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo em 1962, presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os contatos podem ser feitos pelo telefone 141 (24 horas), pessoalmente (nos 72 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br via chat, VoIP (Skype) e e-mail.

suicídio

 


2 respostas para “Precisamos falar de suicídio”

  1. Carlos Bley disse:

    As paredes de seu quarto estão gritando em voz alta todos os segredos que ela tem segurado por todos esses anos, cada lágrima que quebrou seu coração e cortou seu pulso, e cada memória que rasga a sua alma. E até hoje, ela ainda não consegue respirar… Porém… Há coisas muito melhores do que qualquer coisa que deixamos para trás. (C. S. Lewis)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.