Crianças e a internet

30/08/2017

Se você deixa a internet criar seu filho. Também deixa ela recriá-lo.

Cena comum em locais públicos, como shopping, restaurantes e até parques é alguma criança, até mesmo as bem pequenas, acessando a internet. São jogos e redes sociais que entram na vida delas cada vez mais cedo. E estão substituindo a TV no papel de “babá eletrônica”, na função de distrair os pequenos.

Uma pesquisa divulgada no ano passado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 87% das crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos têm perfil em redes sociais, e 68% acessam a internet mais de uma vez por dia. Segundo o estudo TIC Kids Online Brasil, 11% dos entrevistados  entre 9 e 17 anos de idades acessaram a internet pela primeira vez antes dos 6 anos de idade.

Assustador não é o que seu filho faz na internet. É o que a internet faz com seu filho.

Crianças mexem com a internet cada vez mais cedo. E vice-versa.

O alerta para o problema é o foco da campanha “Deep Web” do projeto HC Dedica, da Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas do Paraná. Os anúncios abordam as consequências e os perigos do uso excessivo da internet por crianças e adolescentes. A criação é da TIF Comunicação.

Pesquisa divulgada pela AAHC aponta que 66% das crianças com idade entre três e cinco anos já sabem brincar com jogos de computador, mas apenas 14% conseguem amarrar os cadarços dos próprios calçados e 83% delas se sentem traídas pelos pais que dedicam tempo exagerado aos aparelhos eletrônicos. Como resultado da exposição exagerada à internet e aos aparelhos eletrônicos, as crianças podem apresentar problemas graves como déficit de atenção, obesidade, privação do sono, atrasos cognitivos e introspecção.

No ano passado, o HC já tinha feito algo parecido com a campanha “Conecte-se Ao Que Importa”, para conscientizar a sociedade sobre a importância de os pais darem mais atenção aos seus filhos e combaterem o excesso do uso de aparelhos eletrônicos e das redes sociais.

HC Dedica

O projeto HC Dedica tem como objetivo atender crianças e adolescentes vítimas de violência sexual e doméstica, encaminhados pelos demais serviços do Hospital de Clínicas. São crianças e adolescentes que vieram tratar de outras demandas de saúde, porém, o profissional de saúde que o atende identifica sinais relacionados à agressão e com isto faz o encaminhamento ao projeto. O HC Dedica é composto por equipe multidisciplinar que atende a criança, extensivo à família/agressor e busca minimizar sequelas físicas e emocionais, recuperação do desenvolvimento neuro psicomotor, defasagem do aprendizado, bem como o tratamento dos consequentes danos físicos, psíquico, ético e morais.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.