O HIV é o maior concorrente

01/12/2016

preservativo_jeito_campanha_aids

Em Moçambique, a marca de preservativos Jeito reuniu todos os concorrentes em um único anúncio para destacar a importância do produto para evitar o HIV. A peça foi criada para o Dia Mundial de Luta contra a Aids. O slogan prioriza a saúde em lugar da marca: “use qualquer uma, nosso maior concorrente é o HIV. A criação é da DDB Moçambique.

“Essa atitude segue a essência da marca, que foi criada com o intuito de combater a Aids em Moçambique”, diz Micaela Rodrigues, gestora de marketing da Jeito para o B9. Em Moçambique, 11,5% de população infectada pelo HIV. Isto significa que mais de 2,7 milhões de moçambicanos portadores do vírus.

A marca de preservativos Jeito foi criada pela ONG PSI (Population Services International)  em 1994 numa estratégia para conter a propagação do vírus da Aids e é a mais antiga do mercado moçambicano. Em 2012, ganhou uma estratégia de rebranding e se modernizou.

Muito a fazer

De acordo com a Unaids, agência da ONU que cuida da epidemia de HIV, cerca de 35 milhões de pessoas no mundo têm o vírus da doença. Destas, 18,2 milhões já têm acesso ao tratamento. O dobro de pacientes que há cinco anos mas ainda é bem longe da meta de 90% da população recebendo o tratamento – a meta é para 2020.

Um dos maiores desafios para conter a disseminação do HIV no mundo é o tabu que ainda cerca a doença. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 40% dos infectados com HIV desconhecem que têm o vírus porque nunca fizeram o teste. Por isso, a entidade está apoiando os países a distribuírem kits para o autoexame (fica pronto em 20 minutos e pode ser feito com saliva ou algumas gotas de sangue) ou vendê-los a preço acessíveis.

Sobre o PSI

PSI (Population Services International) é uma rede global de saúde de mais de 50 organizações dedicadas a melhorar a saúde das pessoas nos países em desenvolvimento. Seus principais doadores são os governos dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e nos Países Baixos, além do Fundo Global de Combate à Aids, Tuberculose e Malária e agências das Nações Unidas. Também recebe recursos de empresas e indivíduos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.