Sabor que mata

29/08/2017

Um dos maiores vilões da saúde, o cigarro continua dando prejuízo aos brasileiros. De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer José de Alencar), o custo anual é de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo, onde R$ 39,4 bilhões são gastos com despesas médicas e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos ligados à perda de produtividade. A arrecadação de impostos com a venda de cigarros no país é de R$ 12,9 bilhões, o que gera saldo negativo de R$ 44 bilhões por ano.

Apesar disso, no Supremo Tribunal Federal (STF), está parado o processo que pode ajudar a prevenir mais mortes e evitar que os consumidores mais jovens comecem a fumar: a proibição de aromatizantes e compostos químicos que mascaram o real sabor do tabaco para tornar cigarros e cigarrilhas mais saborosos (leia mais aqui).  O julgamento da proibição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se arrasta desde 2012 e deveria ter entrado em pauta na semana passada mas foi novamente adiado.

Sabor que mata

Usando as redes sociais e a mídia, a  iniciativa Sabor Que Mata, mantido por organizações do Brasil, Chile, Bolívia, Peru e Argentina, denuncia a estratégia da indústria do cigarro. Os cigarros com sabores atraem crianças e favorecem a iniciação ao tabagismo. As vendas dos cigarros com sabores como cereja, mentol e menta exótica estão aumentando na América Latina.

De acordo com a iniciativa, uma pesquisa realizada pela Universidade Johns Hopkins analisou a venda de cigarros saborizados em pontos de venda próximos a escolas na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile e Peru. Os resultados confirmam que a indústria do tabaco expõe cigarros de sabores variados e publicidade destes produtos com o objetivo de atrair os jovens ao consumo.

No vídeo acima o depoimento de Verónica Hughes, médica, filha do escritor uruguaio Eduardo Galeano, começou a fumar cigarros mentolados quando era adolescente. Morreu em fevereiro de 2017 de câncer de pulmão provocado pelo tabagismo.


2 respostas para “Sabor que mata”

  1. Luiz Carlos Pauli disse:

    ..É
    MENTIRA, esses ativistas antitabaco são charlatães, nada mais que
    isso, simples charlatães. Quem faz muito charlatanismo com dados do
    cigarro, são ativistas antitabaco cariocas, e uma ONg antitabaco, também
    carioca. Vamos a prova de que esses antitabagistas são enormes de uns
    charlatâes? 1) perito médicos para a justiça declararam….1) cigarro é
    um simples e mero fator de risco, jamais causa unica e necessária para
    doenças, 2) não foram encontradas causualidades entre fumar e câncer,
    portanto, só isso prova o charlatanismo. 2)câncer de pulmão é o
    que mais mata não fumantes, e pior
    aumenta a niveis galopantes em NÂO FUMANTES, sempre mentiram que 90% era
    em fumantes, mais uma prova do charlatanismo. 3) Mentira que
    morrem 200 mil fumantes, basta acessar o DATASUS, que é o banco de
    dados, onde médicos de todo o Brasil, por formulário informam as causas
    mortis, e está la bem claro, morrem apenas 925 fumantes, ao ano no
    Brasil, pois de 2006 a 2010, foram a óbito 4625 fumantes, o alcool, esse
    sim é mortal, 90% dos óbito é pelo alcool, o que só prova que
    antitabagistas são charlatães mesmo. 4) o pulmão de não fumantes no
    Brasil, é totlamente preto e podre, fumaça do diesel, são milhoes de
    brasileiros morrendo cada ano, inclsive jovens, pela fumaça do diesel,
    fonte globoNews cidades e soluções, 18.01.2016, o que só prova que
    antitabagistas são charlatães, e o que meno interessa é saúde. Querem
    mais provas do charlatanismo de ativistas antitabaco??..

  2. Claudio D`Amato disse:

    Esses antitabagistas esqueceram deliberadamente que a venda de cigarros é proibida a menores de 18 anos. Além de todas aquelas fotos presentes nos maços com os supostos males provocados pelo fumo. Além disso, o fato de conter aditivos não vai fazer a fumaça ficar mais tóxica. Eu desconfio dessas campanhas antitabagistas. Eles tiveram problemas por causa do fumo e agora querem que todo mundo para de fumar. Qualquer um sabe que cada caso é um caso. Quem chatice! Malditos políticos que lhes fazem as vontades. Espero que lembrem-se que fumantes também são eleitores, além de contribuintes e consumidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.