04/10/2016

Saúde

Fique de olho nas pintas.

Salve sua pele

04/10/2016

Sabe aquele ditado, quem ama cuida? Esta campanha da La Roche-Posay mostra como se faz com extrema fofura. Mas o recado é muito sério e o tema delicado: câncer de pele. Prestar atenção nas manchas de pele é um passo muito importante para a prevenção. Cerca de 90% dos casos  podem ser curados se detectados precocemente. Este é o tipo de câncer mais comum entre os brasileiros.

A versão brasileira do filme, com mais de 1,2 milhão de visualizações no Facebook, começou a ser veiculada na internet no final de setembro. Além de fiscalizar as manchas – se tornando o SkinChecker – a peça reforça a importância de visitas ao dermatologista. Pelo hotsite da campanha, dá para tirar dúvidas e ter dicas de como fazer um autoexame.

No ano passado, este outro filme já tinha derretido os corações de muita gente na internet. A criação é da BETC Paris.

O câncer de pele no Brasil

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum na humanidade. Em um país tropical como Brasil, com alta incidência solar durante todo ano, ele se torna ainda mais frequente. Existem dois tipos principais da doença: o melanoma, que se origina das células que produzem o pigmento que dá cor à pele, a melanina, um tumor mais agressivo que pode causar metástase para outros órgãos. E o não melanoma, que se origina nas células basais e apresenta altos percentuais de cura, se for detectado precocemente. Esse último o de maior incidência no Brasil, correspondendo a 30% de todos os tumores malignos registrados no país.

O principal fator de risco deste tipo de câncer é o tom da pele. Pessoas de pele muito claras estão mais suscetíveis, principalmente aquelas que ao se exporem ao sol e não se bronzeiam, ficam vermelhas. Nos indivíduos negros, a doença é mais comum nas partes brancas do corpo, como as palmas das mãos e plantas dos pés ou sob as unhas. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado precocemente. Entre os tumores de pele, o tipo não-melanoma é o de maior incidência e mais baixa mortalidade.

O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas anteriores. Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vítimas.

Como a pele – maior órgão do corpo humano – é heterogênea, o câncer de pele não-melanoma pode apresentar tumores de diferentes linhagens. Os mais frequentes são o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermoide. O carcinoma basocelular, apesar de mais incidente, é também o menos agressivo. No ano passado foram detectados  175.760 novos casos, sendo 80.850 homens e 94.910 mulheres.

Autoexame (fonte: INCA)

O que procurar?
• Manchas pruriginosas (que coçam), descamativas ou que sangram
• Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor
• Feridas que não cicatrizam em 4 semanas

Como fazer?

1) Em frente a um espelho, com os braços levantados, examine seu corpo de frente, de costas e os lados direito e esquerdo;
2) Dobre os cotovelos e observe cuidadosamente as mãos, antebraços, braços e axilas;
3) Examine as partes da frente, detrás e dos lados das pernas além da região genital;
4) Sentado, examine atentamente a planta e o peito dos pés, assim como os entre os dedos;
5) Com o auxílio de um espelho de mão e de uma escova ou secador, examine o couro cabeludo, pescoço e orelhas;
6) Finalmente, ainda com auxílio do espelho de mão, examine as costas e as nádegas.

dezembro_laranja_07


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.