Não seja um porquê

18/04/2017

A Netflix quer viralizar ainda mais a campanha #nãosejaumporque pelo Whatsapp aproveitando o embalo do sucesso de 13 Reasons Why. Nesta segunda fase de sua campanha anti-bullying, foi criado um novo hotsite que trava uma conversa como se fosse um chat, claramente dirigido a adolescentes.

Entre perguntas que parecem inofensivas, a conversa conduz o interlocutor a perceber que apelidos, “zoação” e fofocas podem ter consequências terríveis. Depois que se chega ao final da conversa, a pessoa é instigada a mandar por WhatsApp links sugestivos para que os amigos também participem da campanha. Os nomes são sugestivos e servem de isca para mais conversas no “chat” do Netflix: As Mais Gostosas, Fotos Escondidas, Beijo entre meninas, Na frente de todo mundo, A vingança, entre outros.

Na primeira fase da campanha, influenciadores como Hugo Gloss e Taynara OG contam as suas histórias reais de bullying e o sofrimento que isso causou (relembre aqui).

Repercussão nas redes

A estreia de ’13 Reasons Why’, nova série americana produzida pela Netflix que alcançou grande popularidade poucos dias após o seu lançamento, está dividindo opiniões de artistas, público e psiquiatras. Se por um lado joga luz sobre causas e efeitos do suicídio; por outro os responsáveis pela série estão sendo acusados de romantizar e gerar impacto nocivo por conta do tratamento dispensado ao tema.

Pra além da discussão entre especialistas, o fato é que o suicídio está entre as principais causas de morte na adolescência, competindo com acidentes causados por veículos e violência armada. Levantamento da nossa equipe do Comunica Que Muda constatou que 13 dias antes do seriado estrear haviam 20 mil menções sobre suicídio nas redes sociais do Brasil (contando Twitter, Face e Instagram), e 13 dias após a estréia já são são 269.109 mil menções. A análise foi feita utilizando a ferramenta de monitoramento Torabit.

O suicídio está entre as principais causas de morte na adolescência, competindo com acidentes causados por veículos e violência armada. De olho nessa realidade, o Comunica Que Muda – projeto da agência nova/sb que propõe o debate de temas de interesse público – já havia detectado em pesquisas de comportamento a necessidade de abordar o suicídio na comunicação.

Desde 2006 a gente vem estudando e postando aqui no blog textos, estudos e campanhas que abordam o tema. E essa análise constante comprovou: a publicidade ao tema gera aumento do interesse. “O Brasil está na contramão das estatísticas mundiais e tem apresentado taxas progressivas e preocupantes de suicídios de jovens; isso antes mesmo da crise econômica. Acreditamos que abordar é fundamental para superá-lo, mas isso precisa ser feito com cuidado e responsabilidade. Por isso a nova/sb, como a agência brasileira especialista em Comunicação de Interesse Público, não poderia ficar de fora do debate”, destaca Bob Vieira da Costa, sócio-fundador e presidente da nova/sb.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.